• Marco A. S. Souza

Pequenas empresas também precisam de gestão

Atualizado: 10 de Out de 2019

Fluxo de caixa, Curva ABC, Demonstrativo de Resultado, Ticket Médio, Ranking de Vendas...


São muitos os termos, controles, análises e relatórios utilizados no dia a dia de grandes corporações para gerenciar todo ciclo operacional e comercial da empresa. Sem essas ferramentas, é impossível obter vantagens comerciais e vencer a concorrência nessa tão acirrada corrida em busca dos melhores resultados.


No entanto, vem crescendo consideravelmente o número de pequenos negócios adeptos desses controles refinados. Esse tipo de apuração ajuda-os a crescer e melhorar todo seu processo interno, refletindo diretamente na rentabilidade da micro e pequena empresa.


O principal desafio pra o microempresário que deseja implementar esse tipo de controle

é o clássico Por onde começo? Então escrevemos esse artigo para ajudá-lo a dar o start na sua jornada em busca da melhor gestão do seu negócio.



1° - Cuidado com as planilhas eletrônicas


É comum pra quem está começando essa vida de gestor aderir a planilhas eletrônicas para armazenar os primeiros dados da empresa. Sobre isso, deixo aqui, talvez, o conselho mais importante desse artigo: Fuja das planilhas!


As planilhas podem parecer amigáveis no começo, afinal, são de fácil manuseio e manutenção, é simples verificar resultados empilhados numa coluna e não é necessário grande investimento, já que existem consistentes versões gratuitas. No entanto, à medida que os dados ganham volume as complicações começam a aparecer. Provavelmente terá colunas e abas demais, o que dificulta muito a leitura e compreensão dos dados, a fim de transformá-los em informação.


"Ah, mas será que vale a pena começar com planilhas e quando a coisa ficar muito grande, adotar um sistema?"


Bom, acredito que não! A migração de dados de uma plataforma a outra sempre terá a necessidade de uma adaptação e em termos de informações da sua empresa, essa adaptação pode custar boa parte da sua inteligência de negócio. Portanto invista logo de cara (não necessariamente dinheiro, uma vez que existem bons sistemas gratuitos) em um sistema de gestão e evite perder seus dados operacionais.



2° - Seu melhor amigo, o sistema de gestão


Conhecemos bem o cenário do pequeno varejista, geralmente o proprietário trabalha no local, equipe mega enxuta, atribuições bem divididas e tudo mais. Com isso, sabemos da dificuldade de implantar um sistema de gestão, já que é necessário cadastrar todos os produtos, clientes, contas a pagar e receber, incluir quantidade de estoque, etc. Isso demanda tempo com foco por parte de quem opera o sistema, mas, o resultado é certo.


Às vezes é difícil enxergar o impacto real da gestão no seu negócio, né? Então vou exemplificar para melhor compreensão:

Imagine que o Paulo é dono de uma loja de roupas e está prestes a realizar sua última compra antes do natal. Ele tenta ser mais assertivo possível, para que não perca dinheiro com falta de estoque, nem com produtos "encalhados". Paulo, no entanto, não possui um sistema de gestão, julga não precisar, porque conhece seus clientes e sabe exatamente o que comprar a fim de ter lucro no fim de ano.
Resultado? Isso mesmo, aquele modelo de camisa que ele só comprou 20 peças acabou no primeiro dia após a compra. Paulo orientou suas vendedoras a oferecer modelos similares, que ele comprou em maior estoque, mas os clientes recusavam e compraram as peças na loja em frente, já que tinha um bom estoque do produto.
Sabe o que aconteceu com os modelos similares? Exatamente, foram vendidos pelo preço de custo um tempo depois, já que tiveram grande recusa por parte dos clientes.

Nem preciso comentar que para o ano seguinte o Paulo se preparou, implantou um sistema de gestão e começou a comprar seus produtos baseando-se nos dados de comportamento de seus clientes, né?



3° - Os relatórios te dizem o que você precisa saber


Uma vez que tenha investido seu tempo alimentando o sistema, sua manutenção torna-se cada vez mais simples. Perceberá que seu processo fluirá e a partir daí é só usufruir dos dados que terá disponíveis.


Pra isso, é importante conhecer bem os relatórios do sistema e utilizá-los na tomada de decisão das operações de sua empresa. A aplicação é variada, é possível utilizá-los para realizar compras mais assertivas, conforme o exemplo citado acima, recompensar de alguma forma seus clientes mais fiéis ou com melhor ticket médio (os relatórios de ticket médio por cliente e curva ABC de clientes podem te ajudar nessa situação). Além de questões comerciais, é possível utilizar os relatórios também para outras áreas da empresa, como o setor financeiro, que, visando reduzir custos, pode apoiar-se no relatório de Demostrativo de Resultado e entender quais custos representam as fatias das despesas da empresa.


Não para por aí... em casos de sistemas mais robustos, onde é possível criar novos relatórios, não há limites sobre o cruzamento de dados que se pode gerar.



4°- Aposte também na parceria certa


Dificilmente, como micro ou pequeno empresário, lhe sobrará tempo para desenvolver e implementar seu próprio sistema de gestão. Portanto, invariavelmente precisará de consultoria, treinamento e suporte para que tudo funcione corretamente. Por isso, aconselhamos a realizar uma boa pesquisa no Google, Reclame Aqui e em outros proprietários de empresas, sobre a empresa que deseja contratar para te ajudar nessa caminhada.


Nós da Manchester Automação contamos com excelentes sistemas de gestão, equipe experiente e um suporte mega preparado pra te atender bem.


Desejamos que você tenha sucesso nessa nova empreitada, cheia de dados, informações, controle e inteligência de negócio. Conte conosco se precisar.






0 visualização